Quando cheguei ao Pompeia estava chovendo

Sem ter um guarda-chuva, do carro corri para dentro do prédio sem qualquer preparação para o que eu estava prestes a ver. Estávamos no meio da tarde e o espaço estava cheio de pessoas e crianças e famílias. Havia uma grande energia, já que todo mundo estava ocupado com coisas muito diferentes para fazer. Encontrei também uma área muito tranquila, as pessoas simplesmente lendo o jornal, estudando os livros ou sentados conversando, olhando as exposições, crianças brincando com objetos... Era um verdadeiro espaço de convivência. Uma fábrica de energia. E eu gostei imediatamente. Houve algum tipo de sentimento de democracia.

Marina Abramović